Conviver

O que dizer sobre um dos locais mais icónicos de Braga? Com uma pequena pesquisa, a Wikipédia diz-nos que foi um negócio franchising do passado, criado em março de 1907 e inicialmente gerido durante 30 anos por Adolpho de Azevedo, um negociante portuense e vice-cônsul do Brasil na cidade de Braga, que oferecia um café aos clientes que compravam um quilo deste.

A cidade de Braga gira em torno do centro, e aqui poderá encontrar espaços localizados em ambientes que qualquer visitante considera como deliciosos ao olhar. O café Lusitana, um dos mais antigos da cidade de Braga, está localizado num local privilegiado, mesmo ao lado de um dos jardins mais belos da cidade: o jardim de Santa Bárbara.

Muito mais do que um local para comprar livros, a Centésima Página é um espaço para se conviver com os livros.
A livraria proporciona um ambiente perfeito: tranquilo, sereno, acolhedor e agradável. Situada num edifício que foi classificado de Interesse Público desde 1977, a Casa Rolão, é um dos melhores exemplos preservados do estilo barroco do século XVIII.
A livraria deixa as suas visitas à vontade para se sentarem a ler o livro que estão a escolher, podendo acompanhar essa leitura com uma fatia de bolo caseiro, ou se estiver na hora de almoço, por uma sanduíche, uma massa ou lasanha, disponíveis na cafetaria. Se o tempo convidar, poderá disfrutar do jardim da casa.

No largo de São João do Souto, agora cheio de movimento devido ao surgimento do fator Spirito, os bracarenses e os seus visitantes encontraram o espírito de numa bela esplanada, onde se podem deliciar com um copo de café ou chá, acompanhado de um cupcake, brownie ou até por um gelado de sabores e nomes, de acordo com a época que se vive.

Comer

Localizado na zona boémia da Sé de Braga, pretende dar a conhecer através dos seus petiscos e vinhos, o melhor dos produtos típicos que Portugal oferece. Susana e a irmã Cristina, que se juntou ao projeto, foram à descoberta dos melhores pequenos produtores de Portugal para nos apresentar queijos, enchidos e vinhos das regiões do Minho, Trás-os-Montes, Beira Baixa, Beira Alta e ainda Alentejo.

Os Chefs Guilherme Yamato Michishita e Marcos Kurosaki aterraram em Braga para nos dar a conhecer o melhor da comida tradicional japonesa. A equipa Braga Cool foi experimentar e ficou ainda mais fã do Japão!
O Michizaki não é um restaurante de sushi, mas sim um izakaya, um tipo de bar japonês, onde as pessoas vão depois do trabalho para descontrair. Um local que antigamente era uma loja de venda de saquê, hoje é um espaço para se ir beber saquê acompanhado de petiscos.

Como o nome indica, o espaço é perfeitamente retro. Aqui praticamente tudo tem história, levando-nos para uma lembrança do passado, como o candeeiro do balcão que veio diretamente dos antigos balcões dos CTT, o quadro preto de uma escola primária, o famoso cão de louça que as nossas avós têm na sala, e até a icónica abelha maia que esteve durante anos na Rua do Souto, entre muitas outras coisas.

Visitar

A Galeria Emergente DST é mais um exemplo da vibração coolness da cidade – desta vez na conjugação da arte no estado online com o offline. O projeto shair nasceu num concurso de ideias dentro da empresa bracarense DST, onde a colaboradora Mariana Gomes sugeriu a criação de um projeto que visava dar oportunidade aos artistas emergentes de exibirem o seu trabalho e de o venderem.

Junto ao famoso Arco da Porta Nova, encontra-se este museu, sediado num edifício do século XIX e numa torre do século XIV da antiga muralha medieval. O museu possui máquinas fotográficas históricas e um vasto espólio de fotografias; produz e exibe regularmente trabalhos fotográficos, sendo também associado à recuperação de um vasto espólio herdado de algumas das mais antigas e importantes casas de fotografia.

O Museu dos Biscaínhos surgiu em 1978 e atualmente leva-nos numa viagem pelo quotidiano de uma família nobre setecentista no seu palácio. Este palácio, do século XVIII, demonstra-nos a arquitetura da época. Uma arquitetura grandiosa, trabalhada, cuidada e sempre associada à funcionalidade.

Sair

Juno, na mitologia romana, é a deusa dos deuses, esposa de Júpiter. No mundo do cinema, trata-se de um filme que retrata, de forma sarcástica, a gravidez na adolescência. No mundo musical, é uma marca de renome de sintetizadores. Em Braga, Juno é uma homenagem a todas estas referências no bar do Alexandre, Paulo e João, situado na Rua do Anjo.

O epicentro da noite de Braga conta com mais uma porta aberta à cultura em qualquer forma e estilo. A Xana e o Palas abriram o Sé La Vie, um espaço com música ao vivo que apresenta todos os fins de semana concertos e dj-sets.
Tendo o Palas uma ligação forte à música portuguesa, como membro da banda bracarense Smix Smox Smux, o espaço pretende ser uma oportunidade, em especial para os bracarenses, que queiram dar a conhecer o seu projeto musical e/ou cultural.