Passar para o conteúdo principal

Zeena Parkins + André Gonçalves

29.10
21:30

Theatro Circo

Concerto

Ainda olhamos para Zeena Parkins como uma dotada harpista, mas há muito que a norte-americana colocou aspas neste instrumento, subvertendo os seus limites físicos e sonoros, tal como as transformações radicais impostas ao piano por John Cage. E, de facto, Parkins não circunscreve a composição apenas às potencialidades da harpa: piano e, muitas vezes, objetos sonoros inventados percorrem as muitas alíneas das leis do som, desafiando texturas, cores, ressonâncias, frequências que lhe comandam a escrita sonora e o modo como espontaneamente reage ao que acontece. Não é então por acaso que ao longo destas décadas coleciona colaborações e encomendas de renome, e não é menos por acaso que aceitou mais um desafio para criar com André Gonçalves uma estreia para o Festival Semibreve. Do lado português, a eletrónica — vinda do computador e dos modulares — reagindo ao que Zeena Parkins diz e imaginando um terreno de múltiplas partículas ambientais eletroacústicas. Dois músicos habituais a ouvir o outro, a criar com o outro, dispostos a partilhar tudo isto com o público.

Concerto