Passar para o conteúdo principal

Flora Yin-Wong

30.10
14:30—17:30

Capela Imaculada do Seminário Menor

Performance Duracional

Para quem segue a escrita da música, o nome de Flora Yin-Wong ajudou a traçar um mapa de actualidades da música electrónica contemporânea da década passada, assinando textos para a Dazed & Confused ou Resident Advisor. Prosa importante, sem dúvida, mas sobretudo uma audição apurada e uma atenção a um mundo sonoro extremamente vasto. A partir de 2016, a sua produção musical começou a emergir e, depois de participar na famosa compilação da PAN “Mono No Ware”, edita em 2020 o seu álbum de estreia com “Holy Palm” na Modern Love. Profundamente idiossincrático, como um diário pessoal, as composições de Flora instigam à viagem psicológica, abrindo espaços para a especulação e meditação, empilhando postais sonoros que nos colocam noutras latitudes — por vezes reconhecíveis, outras vezes estranhas e deliciosamente dissonantes. No cenário magnífico da Capela Imaculada, Flora Yin-Wong estreará "Sea of Fertility" uma peça ambiental electrónica de longa duração, entre concerto e instalação sonora, como uma cerimónia sem tempo e submersa numa sistema de som quadrifónico.


 

Performance Duracional

Baseada na obra homónima de Yukio Mishima, ‘Sea of Fertility’ é uma peça duracional site-specific que utiliza som multicanal, complementado por performance improvisada ao vivo. A peça aborda tematicamente a ligação entre reencarnação e renascimento, a natureza da humanidade e a obsessão que, em última análise, destrói a vida do homem. Em resposta a esta obra literária, o trabalho olha para a nomenclatura dos lagos da lua, como Mare Crisium: 'Mar da Crise', Mare Cognitum: 'o Mar que se Tornou Conhecido' e Lacus Oblivionis: 'Lago do Esquecimento') como instituído pelo astrónomo e padre católico Giovanni Battista Riccioli. A espacialização do som irá funcionar a partir da lógica do mapa celestial dos lagos nas direções cardeais do Norte, Sul, Leste, Oeste.